Quinta - 13/junho

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Quinta - 13/junho

Mensagem por tiagovip em Sex Jun 14, 2013 10:27 am

Olá, pessoas!

Ontem o Jorge, o Marcelo e o Éder foram até lá em casa para alguns uma mini-jogatina, e o que veio para a mesa foi:

Zogar's Gaze (Marcelo, Éder e eu) - esquentamos a noite como uma disputa por tesouros, artefatos, fama e... cogumelos! Não é só da folha hobbit que heróis vão atrás, oras. Jogamos com a variante oficial de ferimentos. Antes dos heróis pegarem os esquemas de invadir masmorras, os três foram vencidos e já machucados, mas depois disso, as espadas e machados ficaram mais equilibrados e o Marcelo venceu, pela primeira vez que vi, o Minotauro ser vencido na briga (mas, depois, perdeu para um Besouro Rúnico a fabulosa espada Elemist), e o Éder derrubou não um, mas dois Golens - em verdade, depois da primeira derrota, o Éder não perdeu mais, surrando de cima a baixo o que quer que aparecesse na frente. Eu acumulei cartas como nunca antes, e mesmo tendo pontos para umas quatro trocas no Mercado, nenhuma eu fiz. O Éder, além de ser o campeão da porrada, também estava com o olho mais afiado, achando nada menos do que três dos itens únicos (o tomo, o chifre e o cálice de cristal). Um deles era o que o Marcelo precisava, e com uma Pedra Radiante que ele encontrou no Mercado, ele tentou pegá-la, mas falhou nas escolhas. Falando em Pedras Radiantes, o Éder usou duas em mim, confundindo-me, pois eu tinha apenas cartas do 1º ou 2º nível em mãos na primeira vez, e mesmo na segunda, com uma ou duas cartas do 3º nível, ele sempre foi atrás das cartas do 1º nível. Só na segunda eu entendi que ele queria os meus cogumelos! Só que era tarde demais, pois ele pegou o cogumelo que queria e venceu, cumprindo os objetivos do Gnomo Cinza (cinco cogumelos) e do Alquimista (o tomo). O Marcelo era o Homem de Norcia Ladino (precisava só do cálice para vencer) e eu era a Mulher de Kuln Heroína, que precisava só da Excalibur (que eu até achei em minhas andanças, mas perdi para um monstrinho vagal do 1º nível!). Uma beleza de partida divertida!;

Darkest Night (Jorge, Marcelo, Éder e eu) - mais uma estreia, mostrando o dedo do meio para o NoNeGaMo. O Darkest Night é um jogo cooperativo, com um tema de fantasia. Pretendo fazer uma resenha de primeiras impressões sobre ele, então não me estenderei sobre o jogo em si. Na partida, jogamos com a Amazona (Jorge), o Acólito (Éder), o Erudito (Marcelo) e o Clérigo (eu). Começamos jogando tremendamente errado - e parecia impossível fazer qualquer coisa para vencer, mas o Jorge pegou o manual das mãos do Marcelo e viu que o Necromante agia uma vez depois que todos os heróis tinham tido seu turno, e não uma vez após cada turno de herói. Assim, com o Necromante agindo 4x menos vezes, o jogo pareceu efetivamente um jogo. A Amazona e o Clérigo começaram indo para a Vila, onde eliminaram todos os servos e, depois, procuraram por artigos diversos. O Erudito e o Acólito seguiram para as Montanhas, onde os servos provaram-se casca-grossa demais, e ambos tiveram que sair de lá ou então morreriam. Fizemos um recuo tático até o Monastério, para a Amazona ficar responsável pelas três chaves encontradas até então, e onde as habilidades do Clérigo potencializavam a cura do pessoal, para depois o Acólito, a Amazona e o Clérigo irem para a Floresta, onde haviam três servos, em uma ação para começarem a limpar alguns locais, pois todos, menos o Castelo, estavam com 3 ou 4 servos. O Erudito foi para a Vila e depois para o Castelo. Na Floresta, o plano funcionou até certo ponto: a Amazona, fez a parte dela, e também o Acólito, mesmo a grande custo (perdeu 3 pontos de vida, chegando em 1). Mas o Clérigo não foi capaz de vencer os Espiões. Ainda assim, no turno seguinte a Amazona destravou uma Relíquia e, em sua vez, o Necromante veio até a Floresta. Havia chance de destruí-lo já (ainda na rodada 11 de 30+), pois para derrotá-lo era preciso rolar 7 em 1d6, mas a Relíquia cede um bônus de +1 ao número rolado. Assim, bastaria um 6 - e a Amazona rolava 2 dados em seus ataques. Só que, antes, o Acólito e o Clérigo tinham de eliminar os 2 servos conjurados pelo Necromante, o que não ocorreu (o Clérigo rola 1 só dado, sem bônus algum, enquanto o Acólito podia rolar até 3, e a Amazona, 2 com bônus de +1). Era preciso a ajuda do Erudito, que estava lá do outro lado do tabuleiro, no Castelo, trocando tapas com um Esqueleto. Foram três rodadas tentando vencer o Necromante, a grande custo para os heróis, mas sem sucesso. Eles tiveram que retornar novamente ao Monastério, para recuperar vida. Então a Amazona cavalgou até as Ruínas, para livrar o Reino de uma área de Dessacralização que poderia significar a derrocada de tudo. O Acólito seguiu para a Floresta, já sem o Necromante, e em seus buscas achou a fonte de um novo poder que poderia ser valiosíssimo: o novo poder permitia afastar todos os servos do Necromante de uma área para outra, adjacente. A Amazona, em possa da Relíquia, foi novamente alvo da atenção do Necromante, que foi até as Ruínas. O Acólito seguiu para lá, e depois valeu-se de seu novo poder para enviar todos os servos para a Floresta. Assim, a Amazona tinha duas chances de derrotar o Necromante: precisava de um 6 em duas rolagens. E ela conseguiu! Em verdade, o Jorge rolou uns cento e cinquenta 6 durante a partida, então nem foi uma grande surpresa ele conseguir, mas comemoramos mesmo assim. Estávamos na rodada 27, assim em pouco tempo o Monastério começaria a ser afligido pela ação dos servos do Necromante. Só que não mais!

E foi isso!

Abs,

________________________________________________
From even the greatest of horrors irony is seldom absent. -- H.P. Lovecraft
avatar
tiagovip
Sherlock Holmes
Sherlock Holmes

Mensagens : 6027
Data de inscrição : 24/05/2013
Localização : Curitiba

Ver perfil do usuário http://www.boardgamegeek.com/user/tiagoVIP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quinta - 13/junho

Mensagem por tiagovip em Sex Jun 14, 2013 5:15 pm

Resenha das primeiras impressões do Darkest Night, aqui, ó: http://boardgamegeek.com/thread/991682/darkest-night-primeiras-impressoes-first-impress

________________________________________________
From even the greatest of horrors irony is seldom absent. -- H.P. Lovecraft
avatar
tiagovip
Sherlock Holmes
Sherlock Holmes

Mensagens : 6027
Data de inscrição : 24/05/2013
Localização : Curitiba

Ver perfil do usuário http://www.boardgamegeek.com/user/tiagoVIP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quinta - 13/junho

Mensagem por libonati em Sex Jun 14, 2013 5:26 pm

Perreto, vc poderia citar o tempo de cada uma das partidas, esprcialmente do darkest night??


________________________________________________

libonati
Middle-earth Quest
Middle-earth Quest

Mensagens : 2976
Data de inscrição : 25/05/2013
Idade : 34
Localização : Curitiba

Ver perfil do usuário http://www.worldrpgfest.com.br/site

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quinta - 13/junho

Mensagem por tiagovip em Sex Jun 14, 2013 5:39 pm

O Zogar's Gaze demorou cerca de 30 minutos. Talvez 25.

O Darkest Night demorou bem mais, cerca de 2hs. O tempo todo demorou 3 horas, mas isso incluindo explicação, leitura de cartas de habilidade e 1/3 de partida errada. Mas o Darkest Night poderia demorar pelo menos uns 50% a mais, caso não conseguíssemos vencer o safado do Necromante de novo.

Abs,

________________________________________________
From even the greatest of horrors irony is seldom absent. -- H.P. Lovecraft
avatar
tiagovip
Sherlock Holmes
Sherlock Holmes

Mensagens : 6027
Data de inscrição : 24/05/2013
Localização : Curitiba

Ver perfil do usuário http://www.boardgamegeek.com/user/tiagoVIP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Quinta - 13/junho

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum