Arkham, 28 de dezembro de 1926

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Arkham, 28 de dezembro de 1926

Mensagem por tiagovip em Seg Dez 30, 2013 2:46 pm

Postagem original: http://boardgamegeek.com/thread/1094696/arkham-28-de-dezembro-de-1926


"Há algo na música que é, ao mesmo tempo, sublime e assustador, pois ela pode tanto nos levar ao ápice da alegria quanto ao mais escuro poço que existe em nós. Entre os timbres e arranjos vibra uma energia agridoce, bipotencial, que pode servir ao bem ou ao mal. É música, em si, pode ser usada como uma ferramenta, e em tal função, como qualquer implemento, o efeito de seu uso pode suscitar resultados positivos ou negativos - é a índole do usuário que determina a intenção. Como nas lendas, a música pode ser o meio que acalma os monstros, que põe os horrores para dormir e que afasta os pesadelos; mas também podem ser o som das trombetas que anunciam o fim dos tempos, o coro dos uivos dos condenados, dos perdidos. É uma benção e uma maldição."


Extrato do diário de Patrice Hathaway


ARKHAM HORROR

Jogo: Arkham Horror, com a expansão Innsmouth Horror & Lurker at the Threshold

Investigadores: Michael McGlen, o gângster (Gustavo), Rita Young, a atleta (Trentini), Mark Harrigan, o soldado (Trentini) e Patrice Hathaway, a violinista (eu)

Grande Antigo: Chaugnar Faugn






Resultado: 
Spoiler:
Vitória por portais selados (19 pontos)


Momentos especiais: A Rita Young aprende coisas terríveis sobre sua história. O Michael McGlen arma-se para enfrentar todos e quaisquer perigos. Patrice passeia por Arkham e é chamada para ser membro da Sociedade do Crepúsculo. Todos encontrando-se no Grande Salão de Celeano.


Descrição: Quisemos misturar mais uma expansão ao jogo, e optamos pela do Lurker at the Threshold, que traz, claro, seus problemas, mas inclui boas possibilidades de dar benefícios aos investigadores na forma dos pactos, que permitem uma grande maleabilidade dos investigadores caso os mesmos sejam feitos. Porém, optamos desde cedo pelo caminho mais seguro e evitamos o pactos a todo momento, mesmo, por vezes, tendo que pagar por isso - chegamos a ter todos os investigadores amaldiçoados!

Mas, de começo, a situação era a normal - Chaugnar Faugn era nosso oponente, e com ele vinha os problemas de ter um selo ou um Símbolo Ancião por perto. Por isso, logo o Michel encontrou-se com a Rita Yougn nas Docas para passar a ela o pergaminho contendo o Símbolo Ancião, de forma que ela pudesse ir até Innsmouth e iniciar a tarefa de selar o poder do Grande Antigo. Ela assim o fez, bloqueando a passagem que fora aberta no Ordem Esotérica de Dagon. Enquanto isso o Michael encontrou uma Cria Disforme antes de acessar a passagem para R'Lyeh que encontrara na Praça da Independência. A Patrice limitava-se, a princípio, em coletar pistas, de forma que pudesse proporcionar inspiração aos seus colegas.

Logo cedo tínhamos dois portais selados, e mais dois estavam por vir, porém Chaugnar não perdia tempo, e ganhava poder com a abertura de novos portais, aliado com o avanço da trilha do culto dos Profundos, em Innsmouth. Foi preciso que a Rita amealhasse informações de forma a conseguir um caso contra as atividades na cidade, o que causou uma grande batida de policiais federais na cidade, o que fez com que todo o pérfido culto que agia na cidade ter que fugir para as sombras.

O clima não ajudava os investigadores, primeiro por efeito das tempestades de neve que prejudicavam a movimentação, depois quando estranhos e inexplicáveis tremores começaram a ocorrer em Arkham, causando pânico e bloqueios nas estradas. O pior, no entanto, estava por vir. Rita primeiro quase encontrara a morte em Y'ha-nthlei, aonde fora depois de selar o portal na Ordem Esotérica, pois aprendera que era dali, num local extenso e úmido, acessado somente pelo Recife do Diabo, que o culto mantinha sua principal base e templo. Ela tivera que fugir e escapou no limite, chegando ao porto - o Ponto do Falcão - de Innsmouth quase morta, mas com informações importantes. Porém, Rita permaneceu em Innsmouth, interessada em aprender mais sobre o culto e, devido a coisas que lera, sobre ela mesmo. Isso a levou até a Casa do Gilman, a hospedaria local, onde ela descobriu um diário antigo, talvez deixado de propósito ao alcance dos olhos dela. Das palavras que leu ela desvelou o passado de sua família, e soube que tinha sangue Marsh nas veias. Então, como se algo dormente tivesse despertado nela, sua herança a dominou e ela entregou-se ao mar e ao culto que, pouco antes, tentara parar. Rita Young não existia mais, tendo tornado-se um dos Profundos e aceitado o culto à Chaugnar Faugn.

Mark Harrigan, um soldado, viera para ocupar o espaço deixado por Rita, e em Arkham ele agiu junto de Patrice e Michael, que buscavam selar o poder da Besta. Patrice tornara-se membro da Sociedade do Crepúsculo Prateado, para que tivesse acesso aos segredos deles. Michael combatia as criaturas e trabalhava para selar os portais que permitiam a passagem desses horrores. Havia já cinco portais selados, e eles sabiam que a vitória estava próxima, contudo também perto estava o despertar de Chaugnar Faugn. Isso exigiu que Michael, mesmo sob enorme risco pessoal, pois este passara a temer os espaços abertos sob o escuro das estrelas, enfrentou num combate desesperado Barnabas Marsh, um dos líderes do culto de Innsmouth. A vitória nessa luta foi de Michael, que, no entanto, teve que pagar o preço da loucura, tendo que ser levado para atendimento do Asilo Arkham.

Ainda assim, Chaugnar estava perto de fazer a travessia, e isso pôs em movimento dos três investigadores - mesmo o McGlen -, que convergiram através de um dos portais para o Grande Salão de Celeano. O tempo estava acabando, mas Patrice, com a ajuda dos outros dois, foi capaz de realizar o ritual para selar o portal, encerrando, por hora, a ameaça de Chaugnar Faugn!

********

A reta final foi jogo foi emoção atrás de emoção. Chaugnar estava próximo de despertar (em 10 de 12 pontos de Destruição), o que levou o Gustavo a enviar o McGlen para enfrentar o Barnabas, pois caso vencesse, o avanço de Chaugnar retrocederia um ponto, o que ocorreu. Ainda assim, novos portais abriram e Chaugnar voltou a 10, depois a 11. Quando estava no 10, e faltava somente 1 selo para vencermos, agimos de forma que todos entrassem em um portal - pois a Patrice tinha 6 pistas, que qualquer um poderia utilizar. Calhou que, mesmo entrando em dois portais diferentes, a passagem em ambos levava até o mesmo local: Celeano. Patrice estava um passo a frente dos outros, e enquanto estavam lá foi que um novo portal abriu e levou Chaugnar para 11 (de 12) na trilha de Destruição. Se um novo portal abrisse, e havia várias locais para isso, Chaugnar despertaria. Antes disso, porém, Patrice teria a chance de selar o portal e ela conseguiu!

Foi questão de um turno, pois o Mythos seguinte - Escuridão Sem Fim (Unending Darkness) não faria um portal abrir, mas daria 2 pontos de Destruição para Chaugnar, causando o despertar dele. Bem no limite e certamente mais legal e doce a vitória por causa disso!

Abs,

________________________________________________
From even the greatest of horrors irony is seldom absent. -- H.P. Lovecraft
avatar
tiagovip
Sherlock Holmes
Sherlock Holmes

Mensagens : 5973
Data de inscrição : 24/05/2013
Localização : Curitiba

Ver perfil do usuário http://www.boardgamegeek.com/user/tiagoVIP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arkham, 28 de dezembro de 1926

Mensagem por Gustavo em Seg Dez 30, 2013 2:57 pm

Ah, essa partida foi fenomenal! Uma daquelas vitórias suadas... difíceis mesmo! O barnabas Marsh foi muito "útil", se posso dizer, e os 3 investigadores em Celeano é a primeira vez que vejo acontecer! Grande jogo!

________________________________________________
"From the last ills no being can save another; therein each man must be his own saviour." - Herman Melville

avatar
Gustavo
Arkham Horror
Arkham Horror

Mensagens : 1651
Data de inscrição : 25/05/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arkham, 28 de dezembro de 1926

Mensagem por tiagovip em Seg Dez 30, 2013 3:01 pm

@Gustavo escreveu:Ah, essa partida foi fenomenal! Uma daquelas vitórias suadas... difíceis mesmo! O barnabas Marsh foi muito "útil", se posso dizer, e os 3 investigadores em Celeano é a primeira vez que vejo acontecer! Grande jogo!

Por sinal, faltou a foto dos 3 investigadores em Celeano:


________________________________________________
From even the greatest of horrors irony is seldom absent. -- H.P. Lovecraft
avatar
tiagovip
Sherlock Holmes
Sherlock Holmes

Mensagens : 5973
Data de inscrição : 24/05/2013
Localização : Curitiba

Ver perfil do usuário http://www.boardgamegeek.com/user/tiagoVIP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arkham, 28 de dezembro de 1926

Mensagem por Trentini em Seg Dez 30, 2013 3:24 pm

Foi sensacional mesmo, infelizmente deixei mais uma investigadora se corromper para o azar, mas de modo geral ela ajudou um monte lá em Innsmouth, selou 2 portais e impediu o despertar do Chaugnar Faugn através do culto em Innsmouth. Excelente partida!

________________________________________________
Oh, sleep my child

avatar
Trentini
Middle-earth Quest
Middle-earth Quest

Mensagens : 3393
Data de inscrição : 25/05/2013
Idade : 32
Localização : Curitiba

Ver perfil do usuário http://boardgamegeek.com/user/alepsycho

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arkham, 28 de dezembro de 1926

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum